Cristina Kirchner cede para aprovar lei de radiodifusão

SÃO PAULO – A presidente argentina, Cristina Kirchner, promoveu ontem uma manobra estratégica ao anunciar que removerá da polêmica lei de radiodifusão a possibilidade de as companhias telefônicas participarem do novo mapa das empresas de mídia na Argentina e controlarem TVs a cabo. A presença das telefônicas provocava a rejeição dos parlamentares de esquerda e de centro-esquerda, grupo crucial para aprovar a nova lei, já que o governo está com um número apertado de deputados para conseguir sua aprovação. “Desta forma, eliminamos qualquer dúvida que alguns setores tinham”, afirmou Cristina durante uma breve entrevista coletiva. Os aliados do governo pretendem debater e votar ainda nesta semana o projeto na Câmara de Deputados.

A lei que Cristina e seu marido, o ex-presidente Néstor Kirchner, querem aprovar reduz o número de licença dos atuais grupos de mídia – aos quais também impõe limites geográficos -, aplica um férreo controle do Poder Executivo sobre as concessões de licença e favorece a presença de sindicatos e organizações sociais (tradicionalmente aliados dos Kirchners) na mídia.

A oposição argumenta que a nova lei restringe a liberdade de imprensa, enquanto a presidente sustenta que elimina monopólios do setor, principalmente do Grupo Clarín – detentor de emissoras de TV aberta e a cabo e de rádios, além de jornais diários de circulação nacional especializados em economia e esportes -, com o qual o governo está em pé de guerra há um ano. A oposição pretende adiar a votação para dezembro, quando toma posse o novo Parlamento, no qual o governo será minoria.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Esta notícia revela como as mudanças tecnológicas, que influenciam drasticamente o nosso cotidiano, provoca embates desnecessários e non-sense.

Gente – a real discussão é que o consumidor CONSOME vídeo, banda larga e voz (VoIP – voice over IP que é telefone pela Internet)

Na verdade – o consumidor do futuro consumirá BANDA LARGA – e nela terá vídeo e VoIP.

Televisão é coisa do passado… pois teremos televisão na Internet – como já escutamos estações de rádio na internet hoje.

E como já vemos qualquer coisa no You Tube.

O que hoje chamamos televisão ficará restrito às transmissões ao VIVO… como as emoções da brilhante vitória do Del Potro ontem no US OPEN – a qual a Cristina pode ter VISTO tanto do seu celular, como da sua televisão. mas,  se perdeu a transmissão ao vivo… certamente viu na Internet – horas depois.

Vídeo is not KING anymore. Banda Larga is the new King… na Banda Lat=rga vemos qualquer coisa…a qualquer tempo.

Portanto a discussão se vai haver concessão de telefonia (fixa ou celular) ou tv a cabo é um “non issue”. É totalmente irrelevante.

Se você tem acesso a banda larga – imediatamente você tem acesso ao Skype e pronto – fala com quem quiser….TEM TELEFONIA – seja de graça seja tarifado.

Portanto – estes critérios atuais de concessões estão fora do contexto !  A barreira de entrada é o acesso à banda larga seja fixa ou móvel. Seja por fibra ótica ou por uma “nuvem” wireless. Esta é a real discussão. O resto é nhenhenhem….de político populista intencionalmente mal informado…

Mas na verdade o que está em jogo neste neo-populismo latino  americano (Chaves, Kirschner, Evo, etc) em tempos de banda larga  é o conteúdo do Clarín – que é frontalmente contra as idéias do casal Kirchner. E – em tempos de banda larga – precisam avisar o “casal 20” que é imposível controlar conteúdo. À menos que se faça a censura total à internet como os chineses o fazem.