Coordenei ontem pela manhã reunião com 10 presidentes de empresas participantes do Renaissance Executive ForumBrasil. Este grupo se reúne mensalmente para diversas atividades conjuntas de cunho pessoal e profissional. Ontem fui convidado para coordenar uma dinâmica especial objetivando desenvolver cenários para 2010.

O resultado individual é de cunho confidencial mas posso comentar algumas linhas gerais das opiniões dos presentes :

1. Sim : PAC e demais incentivos fiscais estão sustentando a atividade econômica nos setores automotivos leves, eletrodomésticos e imobiliário baixa renda.

2. Todos os presidentes presentes estão otimistas com 2010. N4ao vamos voltar a Set 2008 mas seguramente será sensivelmente melhor do que 2009.

3. Protecionismo será pauta diária. Num mundo mais competitivo teremos que proteger nossas mercados para não “exportarmos empregos”.

4. Retomada da inflação – “nem pensar”. Não há pressão inflacionária em nenhum setor. Se os incentivos governamentais caírem – os setores agora “aquecidos” terão suas atividades reduzidas. Não há planos de investimento nas empresas. A utilização da capacidade ociosa vai se estender para 2010.

5. O nível de meprego não vai subir. Teremos uma retomada sem aumento do emprego – como sugere o Krugman.

6. Cambio: Real continuará se valorizando pois a China esta se aquecendo e vai comprar commodities do Brasil.

7. Brasil perderá competitividade na exportação de bens manufaturados pois nossa mão de obra é muito mais cara do que a Asiática. Portanto – temos que focar em commodities mesmo e utilizar nossos empregos para o mercado interno.

Em linhas macro – esta foi a opinião do Grupo : Otimismo mas com reservas quanto à competitividade do manufaturado brasileiro num cenário de  valorização do Real. Possibilidade de diminuição de saldos comerciais se a China se retrair.