Como postamos há algum tempo – esta norma vai virar sugestão da Câmara Consultiva do processo de revisão dos espaços diferenciados de listagem da bolsa ao Conselho de Administração da Bovespa.

Sugestão óbvia ! Aliás, não entendo porque na criação do novo mercado já não adotaram esta norma. Todos os que idealizaram o Novo Mercado são experimentados reguladores de mercado ! Pessoas com passagem pelo Conselho do IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa.

As empresas que ainda insistem em fazer isto são paroquiais. Espertinhas ! Querem “levar vantagem em tudo” ! E acabam não levando pois o mercado penaliza estas empresas com desconto no valor da cotação das suas ações  – elevando desta forma o seu custo de capital. Como ? Depreciando a cotação e fazendo com que os acionistas atuais tenham que vender mais ações para captarem a mesma quantidade de dinheiro, diluindo sua participação em lucros futuros.

Mas este racional do custo de capital é muito sofisticado e não é elaborado por controladores. Estes não olham os investidores de bolsa como parceiros. Não entendem que suas ações só serão valorizadas se os investidores forem tratados como iguais numa relação madura e sinérgica. Na verdade – todos os controladores que agem – deste jeito sem observar regras de governança – estão mandando um recado para o mercado : EU NÃO ACREDITO NO MEU NEGÓCIO ! por isto estou vendendo sem tratar voce, investidor, como meu parceiro !

Quando a bolsa estava a 72.0000 e todos estavam vendendo a descoberto – vários controladores fizeram isto. Abriram o capital de suas empresas para aproveitar a onda, estabeleceram práticas de governaça “mixurucas” e  provinvianas, e colocaram muito dinheiro no Bolso. Bateram o simbólico martelo no pregão da Bovespa e foram para a praia ! Mas como para se vender algo alguém tem que comprar… estes controladores encontraram uns transeuntes de plantão ! Com a queda da bolsa – recompraram seus parte das ações vendidas por valores bem abaixo.

Quanto mais a relação controlador – investidor for “bem resolvida” maior será o valor da empresa e menor será o seu custo de capital.   Isto não é teoria – é observação prática !