Os chamados Ativos Tóxicos (nos EUA) são – na sua maioria – ativos com lastro imobiliário detidos, possuídos pelos bancos. Ou títulos a receber pelos bancos, não performados, relacionados com imóveis (mortgages).

O FED e o Tesouro Americano – para salvar os bancos – “assumiram” – de alguma forma estes ativos tóxicos. Repassaram dinheiro aos bancos que lhes entregaram os recebíveis – ou seja os Ativos Tóxicos.

O FED não fez isto sozinho. Na verdade – a maior parte quem fez foi o Tesouro americano. Para poder fazer isto – ambos emitiram títulos que foram comprados por – entre outros investidores – os Chineses.

Nesta visita à China, um dos temas da pauta de Geithneé tranquilizar os Chineses sobre a qualidade dos seus recebíveis.

Uma ação alternativa seria o FED e o Tesouro Americano entregarem todos os Ativos Tóxicos para os Chineses que passarão a ser proprietários de imóveis nos EUA. Poderiam mandar boa parte da população chinesa morar nos EUA, por exemplo! Isto baixaria o valor da mão de obra americana que retomaria sua competitividade.

Outra alternativa seria o Tesouro Americano monetizar a dívida com os Chineses. Entregar Dólares, papel moeda. Já pensaram a desvalorização que teria a moeda americana !? De novo – a competitividade americana seria restaurada.

Evidentemente, isto nunca acontecer. Estas alternativas são totalmente fora de propósito. Não faz parte de nenhum cenário ! De nenhum menu de renegociação de dívidas internacionais.

Mas esta forma de pensar serve para mostrar a força e a credibilidade que o governo americano ainda tem para poder contornar e segurar o dólar como reserva de valor. Esta “soberania” americana é que permitiu esta emissão descomunal de dólares para os estímulos fiscais e salvamento das instituições americanas. O mundo assistiu atônito o que é o poder da credibilidade de uma sociedade como a americana. Todos sabem os riscos ! Mas ninguém provoca faísca pois as consequencias são inimagináveis.