Investidores internacionais eufóricos com o Brasil. Busca de papéis braileiros nas bolsas voltou a ser muito forte.

Motivos para o otimismo  – resumidos por um dos maiores Aseet Managers do Brasil

  • Brasil e os BRICS dinamizarão o crescimento econômico nos próximos anos, apesar de representarem apens 10% (+ ou -) da economia mundial;
  • Crise internacional : Não afetará o Brasil tanto quanto se esperava. Nosso mercado interno, sustentado por crédito externo, terá dinamismo para crescer.
  • Brasil cresce com expansão do crédito para classes C e D;
  • Politica Macroeconômica responsável:  credibilidade dos gestores
  • Geração de divisas fortemente apoiada em Commodities : Minério de Ferro, Soja, Agri-business, Energia
  • Estrangulamento cambial : Não há risco. exportações de commodities geram divisas para compensar aumento de importações estimuladas pelo crescimento econômico.
  • Risco Político : não existe ! Serra transforma mas não rompe !
  • Risco Institucional: não existe. Lula não faz o sucessor mas não irá para o terceiros mandato

Para um “kara” da minha geração – isto é colírio para os olhos; música para os ouvidos. Mudança totañ de PARADIGMAS…

Concordo, obviamente, que realmente a situação mudou bastante.

Até hoje – o PARADIGMA era :

o estrangulamento cambial e a inflação sempre brecou fases de crescimento intenso. (lembram-se da famosa “Curva do Delfim”). Existe uma “crença” que o Brasil não aguenta taxas sucessivas de crescimento de 5% ao ano. Estoura infra estrutura, estoura balanço de pagamentos, estoura cambio e – “last but not least” – estoura inflação.

A situação econômica mundial hoje é muito diferente daqueles paradigmas existentes até 5 anos atrás.

E esta crise dos países avançados poderá estar consolidando novos paradigmas quanto aos direcionadores da econmia mundial globalizada.

  • Consolidou-se a figura dos países exportadores de commodities. (especialização natural nossa!!!)
  • Consolidou-se a figura do parque fabril mundial – na China – com sua “interminável” mão de obra barata e capacidade de utilização de tecnologia de manufatura
  • A globalização “ordenou” os parques de produção mundial de acordo com o composto moeda-custo de mão de obra. Exemplo – Brasil é centro de produç4ao automobilística para um dado segmento de componentes automotivos.
  • Os países exportadores (como nós !) geram divisas com mais consistência e possuem poder de reação, respondendo melhor aos “apertos” cambiais.
  • Há também o fluxo internacional de divisas alimentado pelas agências internacionais de crédito,  que compensam desbalanceamentos temporários.

Só temos que tomar cuidado para não virar BOLHA !

Bolhas estouram se os velhos paradigmas ainda forem válidos.