Investidores em bolsa antecipam tendências. Esta é a competência quase que exclusiva que eles precisam ter. Olhar o que os outros não vêem. Podem errar mas tem que ANTECIPAR sempre. Ninguém ganha dinheiro em bolsa (e, talvez em lugar nenhum) com fatos conhecidos, “apostando no passado”. Só se ganha fazendo apostas no futuro. Parece bem óbvio!!!!

Queda de juros é um dos indicadores de que a bolsa vai subir: indicador NECESSÁRIO mas não SUFICIENTE. Há várias outros indicadores NECESSÁRIOS mas não SUFICIENTES. Esta é o fascínio da coisa. Quando todos os necessários e suficientes começam a convergir aparece um MADOFF por exemplo. Que pega todos os necessária e suficientemente EXPERTOS e aplica-lhes um PONZI Scheme.

E isto não tem nada a ver com subprime… Este MADOFF montou o seu esquema bem antes do mundo sonhar com o subprime.

O que pensar de todos os “Assets Management Advisers” que ganhavam comissões e eram remunerados por investidores para colocar nossas poupanças nos Fairfields da vida !!!! Isto nõa tem nada a ver com Subprime – repito. nem com Lehmn Brothers ! Isto é falta de governaça, disciplina, diligencia, know how. Vivendo e aprendendo…

Em Boston, no início dos anos 20, Carlo Ponzi, um imigrante italiano, se tornou um milionário com menos de 40 anos em apenas seis meses.

Ele elaborou uma estratégia apoiada na mentira e na confiança dos clientes de sua empresa, a Securities Exhange Company. Ele prometia às pessoas rendimentos de até 40% em 90 dias, quando as contas de poupança ordinárias da época não ofereciam mais de 5%.

Estes lucros seriam obtidos, em teoria, com a compra e a revenda de selos postais internacionais.

O negócio oferecido aos clientes por Ponzi era sumamente simples: uma pessoa no exterior enviava uma carta para os Estados Unidos, incluindo um selo postal comprado segundo as tarifas do país de origem.

A promessa gloriosa era baseada no fato de que a diferença entre as cotações do dólar americano e as divisas estrangeiras daria lucros enormes automáticos.

Entusiasmados com esta perspectiva, os pequenos poupadores entregaram seu dinheiro a Ponzi, que, “em três horas, recebeu um milhão de dólares”, segundo o site da SEC, autoridade reguladora do mercado americano.

A fraude funcionou enquanto os investidores não decidiram retirar em massa suas economias, posto que a mentira se manteve pagando alguns clientes com o dinheiro que outros haviam injetado, seguindo o popular princípio de “despir um santo para vestir outro”.

“Apesar de alguns investidores terem obtido lucros com o esquema de Ponzi, o que legitimou assim sua montagem, uma investigação mostrou que o fraudador só havia investido 30 dólares para comprar selos postais internacionais”, explicou a SEC, que 90 anos mais tarde foi acusada de não ter detectado o “esquema Ponzi” a grande escala de Bernard Madoff.

Ponzi foi desmascarado pela revista Barrons, que revelou que o fraudador não investia em sua própria empresa e que precisaria de seis meses mais de selos postais em circulação para cobrir o conjunto de suas operações.

Os poupadores se precipitavam em vão para recuperar suas economias e Ponzi foi condenado a muitos anos de prisão.